Javali

Nome científico: Sus scrofa

 Reino Animalia
 Filo Chordata
 Classe Mammalia
 Ordem Artiodactyla
 Família Suidae
 Género Sus
 Espécie Sus scrofa

Distribuição:

O javali pode ser encontrado desde a Europa ocidental até à Ásia e Norte de África. Foram introduzidos pelo Homem na América do Norte e na Nova Zelândia.
Em Portugal, podem ser encontrados em praticamente todo o território continental, à excepção do litoral, onde a construção de habitações e indústrias não deixou espaços suficientemente grandes para a sua manutenção. Em algumas zonas agrícolas, acabam por ser um problema, já que destroem plantações de milho e vinhas, entre outros produtos agrícolas, causando elevados estragos e muitos prejuízos aos produtores.

Características:

O javali é um animal de corpo maciço e robusto, de cabeça volumosa e focinho alongado. Os dentes caninos inferiores, designados por navalhas, são uma autêntica lâmina, permanentemente afiada pelo contacto com os dentes superiores, com a qual o javali a utiliza como arma defensiva e para cortar os alimentos que come.
A pelagem é constituída por cerdas grossas de grandes dimensões, duras e ásperas. Debaixo desta cobertura encontram-se as crinas, que são pêlos lanosos sem cor, que protegem o animal contra o frio.
A cor mais frequente para a pelagem é o cinzento-escuro variando, ocasionalmente, até ao negro-prateado ou ao arruivado. A pelagem de Verão (Maio a Outubro) é mais curta e mais clara. A coloração varia ainda com a idade, sendo os mais jovens (até aos 6 meses) pardos com listas amarelo-acastanhado e adquirindo depois um tom castanho-claro uniforme.
Os javalis são animais de grandes dimensões, podendo os machos pesar entre 130 e 250 kg e as fêmeas entre 80 e 130 kg e atingir um comprimento de 1,10 m a 1,55 m. Possuem uma locomoção de tipo corrida, uma vez que apenas assentam no solo dois dedos (o segundo e o quinto dedo de cada pata).
Os machos desenvolvem grandes dentes, que servem para a sua defesa. Em adulto, e quando se sente ameaçado, este animal é extremamente violento.
As fêmeas têm grandes proles, que protegem de forma empenhada e, se necessário, atacando o intruso.

Habitat:

Os javalis preferem os pinhais, os soutos, as coutadas e os matagais. Procuram abrigo em florestas e bosques, sobretudo os que são constituídos por árvores que perdem as folhas durante o Inverno e que tenham junto ao solo uma camada de arbustos bem desenvolvida. No Outono vão para perto dos campos cultivados, no Inverno embrenham-se nas matas e no Verão vão para os silvados e canaviais, deslocando-se no fim da tarde para os charcos ou lameiros para se banharem.
Vivem ocupando vastos territórios, onde os indivíduos se organizam em pequenos grupos. Nestes, o elemento fundamental é uma fêmea adulta e estabelece-se uma pirâmide hierárquica muito precisa, encabeçada pelos machos de cerca de 3 anos, seguindo-se as fêmeas, depois os jovens acompanhantes e finalmente as crias.
Durante o período do cio, o grupo dissocia-se dando origem a dois grupos, o grupo das fêmeas e o grupo dos machos.
A sua actividade é muito intensa durante a noite e durante o dia repousam.

Alimentação:

O regime alimentar do javali é omnívoro. Pode seguir alguns tipos de dieta dependendo da estação do ano, da região onde habita ou da idade. É apreciador de frutos tenros e secos, de bolotas, de raízes, de batatas e legumes. No Verão, a sua dieta consta de coelhos, lebres répteis, crias de aves e mamíferos e de alguns animais mortos. A sua procura por alimentação é feita maioritariamente durante a noite. Durante o dia, vive em tocas, abrigos que escavam no solo com as suas patas.

Reprodução:

As fêmeas atingem a maturidade sexual por volta dos 10 meses de idade e encontram-se receptivas aos machos entre Outubro e Dezembro. Os machos são capazes de fecundar aos 2 anos de idade mas só o fazem no ano seguinte e o período do cio estende-se de Outubro até Maio.
As fêmeas engravidam uma ou duas vezes por ano, depois de uma gestação de cerca de 4 meses. O número de crias varia entre 2 e 7 podendo, por vezes, chegar às 9, este número aumenta conforme a idade, mas dependendo da alimentação e do clima. Os nascimentos ocorrem entre Fevereiro e Abril e as ninhadas, após uma semana, já podem acompanhar a mãe nas suas andanças. O desmame acontece aos 3-4 meses de idade. As crias com menos de 6 meses são amarelas, raiadas de castanho escuro, e designam-se por listados. A partir dos 6 meses a pelagem torna-se avermelhada e as crias tomam o nome de farropos, progressivamente a pelagem vai escurecendo até tomar uma tonalidade cinzenta escura, momento em que a cria passa a ser considerada um javali de vara.
 
Caça:

A sua caça está regulamentada e só é permitida de acordo com a legislação em vigor e com acompanhamento das autoridades responsáveis. Estas caçadas esporádicas, denominadas montarias, são carregadas de simbolismo, já que envolvem toda uma tradição com muitos anos, onde os iniciados têm o papel principal e onde é feito um baptismo sempre que o iniciado abate o seu primeiro troféu.

Os javalis na cultura e na mitologia:

Desde a Antiguidade Clássica à Idade Média, o javali foi sempre considerado como espécie cinegética de prestígio, especialmente os machos adultos, que eram vistos como o paradigma da coragem e bravura. Antes do advento das armas de fogo, o javali era caçado usualmente com um tipo de lança específico para o objectivo. A caça ao javali é ainda hoje em dia muito popular.

As referências culturais ao javali são abundantes desde pelo menos a Grécia Antiga.

  • Um dos doze trabalhos de Hércules foi caçar o javali de Eurimanto;
  • O javali foi o símbolo das legiões romanas XX Valeria Victrix, I Italica e X Fretensis;
  • Era o prato preferido na irredutível aldeia gaulesa de Asterix e Obelix;
  • É um animal comum na heráldica medieval europeia;
  • Foi o símbolo pessoal do rei Ricardo III de Inglaterra.